Manchetes

Nosso Parceiro

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Visita do Bispo Auxiliar à Paróquia Cristo Ressucitado no Rio de Janeiro

Missa por ocasião da solenidade do Padroeiro na paróquia Cristo Ressucitado, Bairro Bangu. Celebra o Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro Dom Edney Gouvêa Matosso. Concelebra o pároco, Padre Carlos Alberto Munhoz Cavalcante; o mestre de cerimônias, Ramon Ornellas. Notamos na celebração, o imenso zelo litúrgico em todos os detalhes, o uso da casula tanto pelo celebante quanto pelo concelebrane. O número de velas no altar, a cruz voltada para o celebrante. Ainda o correto uso das insígnias, entre outros detalhes.

Incensação no início da celebração.

Pároco dirigindo palavras ao bispo, no início.

Liturgia da palavra

Bênção do incenso e bênção ao padre, para a proclamação do evangelho.
Consagração
Doxologia final do Cânon
O bispo abençoando na procissão de saída.

16 comentários:

  1. Pe. Carlos (é um Cônego "in pectore" de minha Diocese...brincadeira, não é) e Ramon, eis aí dois nomes que contam hoje, na seriedade e na fidelidade à Liturgia celebrada com decôro e com cuidado, mas também com piedade e coerência. Belas fotos. E que bom saber que Dom Edney já está recuperado.

    ResponderExcluir
  2. Se bem que fique contente com os arranjos liturgicos no nosso Brasil, lembro que a setima vela sobre o altar e privilegio do bispo diocesano na sua diocese. Nem um cardeal, pontificando com todos os privilegios, ubique terrarum, tem direito a setima vela se estiver fora do territorio da propria diocese. Claro, o Papa a tem sempre. Pe. Almir, FSSP

    ResponderExcluir
  3. Caro irmão, Pe. Almir.

    Creio que esteja se baseando no fato do "Caeremoniale Episcoporum" tratar a missa estacional como própria do bispo diocesano. no entanto, a quantidade de velas no altar, não tem relação com o celebrante, e sim com o celebrado. é de antiga tradição litúrgica aumentar o número de velas, de acordo com o grau de solenidade do mistério celebrado. Contudo, por se tratar de uma liturgia episcopal, goza esta, idependente do grau de solenidade da celebração de especial privilégio, uma vez que a liturgia episcopal é modelo e plenitude.
    Caso eu esteja enganado, peço que me envie a citação de onde posso encontrar a sua afirmação, ja fui varias vezes quetionado sobre a quantidade de velas sobre o altar e a única justificativa que pude encontar foi relacionando as diversas rubricas do Caeremoniale Episcoporum com toda a tradição litúrgica anterior à reforma do Vaticano II.
    Abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  4. "zelo litúrgico em todos os detalhes"
    Realmente, muito zelo. Só um pequeno detalhe: A ministra que faz a leitura da palavra não poderia está mais apresentada, digo, vestida adequadamente para a ocosião?
    Fraternalmente!
    André Luiz

    ResponderExcluir
  5. A benção episcopal pode ser dada também como consta da foto? Digo: Com os dedos, indicador e médio, abertos e estirados, mostrando as duas naturezas de Cristo (Humana e Divina) e os outros três, polegar, anelar e mínimo juntos, mostrando a Santíssima Trindade. Ou só o Pontífice pode dar tal benção?
    Fraternalmente!
    André Luiz

    ResponderExcluir
  6. Essa é a minha paróquia, ou melhor, a paróquia da qual faço parte. Pe Carlos Alberto tem se esforçado e muito, com inúmeros avanços, a celebrar a liturga dignamente na nossa igreja. Está de parabéns! Assim como o Ramon, fiel escudeiro nesses assuntos! São pessoa a quem admiro muito.

    Só uma correção, a paróquia é do bairro de Padre Miguel, vizinho a Bangu.

    Elton Barreto

    ResponderExcluir
  7. Errata:
    *liturgia
    *pessoas

    Elton Barreto

    ResponderExcluir
  8. Que bom ver Dom Edney com a saúde recuperada ! :) Se não me engano esse mês, dia 29, é seu aniversário de ordenação sacerdotal, e ele sempre comemora com uma Missa em minha paróquia, onde foi pároco.

    ResponderExcluir
  9. Poxa vida o encontro dos zeladores da santa liturgia da ecclesia christi, O excelentíssimo Dom Edney, O revendíssimo Pe. Carlos Cavalcante, e o querido e amigo Ramon Ornellas, grande defensor da dignidade liturgica da santa missa.

    ResponderExcluir
  10. Pe.Carlos e o meu primo Ramon são muito zelosos com a liturgia.

    ResponderExcluir
  11. Reparem no brasão do bispo em cada vela!

    ResponderExcluir
  12. O importante é que todos os sacerdotes façam a celebração do sacrifício incruento de Cristo de acordo com as normas litúrgicas e com piedade, duas qualidades, infelizmente, esquecidas por muitos.
    Pe Carlos Alberto.
    Cônego "in pectore" da Diocese de Frederico Westphalen, (conforme disse o bispo titular hehehehe).

    ResponderExcluir
  13. A beleza da santa Liturgia romana está sob o signo da semente de mostarda: vagarosamente sai da sombra da terra para despontar de novo, cheia de luminosidade e de beleza salvadora... Deus queira! Dom Gregório Botelho, OSB Oliv.

    ResponderExcluir
  14. muito bem...
    estao ae trez pessoas que zelam muito pela sagrada liturgia
    Dom ediney gouvea matoso
    pe.carlos alberto
    e cer.ramom onelas....
    grandes amigos.....

    que o senhor aumente cada vez mais em nos , o zelo pela sagrada liturgia , para que constantimente nossa solenidade seja convetida em santidade !

    p.s:. Dom edieney esta melhor sim! e muito bem! ja voltou com toda! com muitos compromissos do jeito como ele gosta....

    walace prado.

    ResponderExcluir
  15. Não sou nem Mons. Guido Marini nem o Wescley, mas quebro o galho rs, tento fazer o melhor para que de fato o zelo pela sagrada liturgia seja verdadeiro e completo!
    Ramon Ornellas.

    ResponderExcluir
  16. Para mim você, Ramon, é muito mais que Mons. Guido Marini. Parabéns pelo seu esforço em seguir nosso grande modelo de liturgia muito bem celebrada: SS o papa Bento.
    Pe Carlos Alberto.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...