Manchetes

Nosso Parceiro

sábado, 17 de abril de 2010

Um Vidi aquam em português

Do Salmo 50 a Liturgia da Santa Igreja tomou um versículo e o prescreveu para o canto para a ocasião em que seja aspergida a água benta. Trata-se do versículo 9 do referido salmo:

Aspergi-me, Senhor, e serei purificado; lavai-me e serei mais branco do que a neve.

Este é o texto em português dado pelo Missal utilizado no Brasil. A Forma Ordinária do Rito Romano provê outros dois textos possíveis (além do Aspergi me) que poderíamos ver numa outra oportunidade.

Em latim, o versículo acima começa com a palavra Asperges, razão pela qual o texto e a música que se lhe coloquem são chamados pelo mesmo nome.

Asperges me, Domine, hyssopo, et mundabor: lavabis me, et super nivem dealbabor.

Este texto, seja em português, latim ou qualquer outro idioma, é utilizado em todos os tempos litúrgicos – exceto no Tempo Pascal. Neste, em que estamos agora, a aspersão é acompanhada pelo Vidi aquam (“vi a água”).

Vidi aquam egredientem de templo, a latere dextro, alleluia: et omnes, ad quos pervenit aqua ista, salvi facti sunt, et dicent, alleluia, alleluia.

Em português, segundo o Missal:

Eu vi água jorrando do templo pelo lado direito, alleluia; todos aqueles que a água tocava obtinham a salvação e exclamavam: alleluia.

O texto, o leitor poderá confirmar, vem de Ez[equiel] 47, 1.9.

O Graduale Romanum contém melodias gregorianas tanto para o Asperges me como para o Vidi aquam. Nenhuma delas apresenta grandes dificuldades de aprendizado. Um coro gregoriano ou uma pessoa interessada pelo canto gregoriano certamente aprenderá estas peças antes de chegar a estudar um Ofertório ou um Gradual (que são das menos fáceis).

O Asperges me e o Vidi aquam não são difíceis como os Ofertórios, Graduais, Alleluias e Tratos porque estes são geralmente bem melismáticos (muitas notas para cada sílaba); são, porém, um pouco mais difíceis que hinos silábicos (encontrados no Ofício Divino, ou Liturgia das Horas). Estas antífonas da aspersão se encontram no meio caminho entre o silábico e o melismático, e a este meio caminho podemos chamar de neumático.

*

O Salvem a Liturgia apresenta uma novidade para seus leitores: uma partitura do Vidi aquam em português. Esta melodia foi composta em 2010 e se publica pela primeira vez aqui mesmo no site/blog do nosso apostolado.

O texto segue exatamente o prescrito pelo Missal.

Apresentamos a mesma composição em dois tipos diferentes de partitura: um em notação convencional e outro numa notação “semigregoriana” cujas poucas explicações necessárias se encontram na própria partitura.

Para que uma notação “semigregoriana”? Esta notação combina dois aspectos:

-da notação moderna, uma clareza maior quanto à duração as notas

-da notação gregoriana, maior facilidade de indicação das alturas; além disso, atende-se assim às pessoas que só se interessem pela leitura da partitura gregoriana.

A partitura está escrita para uma voz, sem acompanhamento. Planejo dotá-la ainda de uma parte de acompanhamento para órgão, e possivelmente uma segunda voz – tudo ad libitum, isto é: esta primeira partitura, para uma voz sem acompanhamento, já é completa por si.

Sendo esta a primeira oferta do Salvem a Liturgia de uma partitura litúrgica, decidi não a disponibilizar diretamente aqui. O envio será feito por e-mail aos interessados.

Para receber a partitura, o leitor enviará um pedido ao e-mail alfredo@salvemaliturgia.com – com uma referência clara ao Vidi aquam na linha de assunto.

Responderei, enviando a partitura em anexo, tão rapidamente quanto me for possível.

Uma vez que o leitor esteja de posse dos arquivos em pdf, poderá imprimi-los, utilizá-los na Liturgia e também mandá-lo a outras pessoas pela internet ou outros meios. Apenas pedimos que não se faça uso comercial da música, e que, nas situações convenientes, se dê o crédito ao autor da composição e ao apostolado Salvem a Liturgia, e que não se suprimam seus respectivos nomes da partitura.

Se você usar esta peça, o apostolado ficaria feliz de ficar sabendo; pedimos que nos envie esta notícia, se ela acontecer.

*

Há numerosos vídeos do Vidi aquam no Youtube. Entre tantos bons, tomei este para finalizar o texto. O vídeo não contém apenas o Vidi aquam que, nesta situação específica, só começou a ser cantado quando a aspersão terminou (aos 3’25’’).

(Missa Tridentina em Edinburgo)
blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...