Manchetes

Nosso Parceiro

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Santa Missa na Forma Extraordinária no CEN - "Parte 2"

Continuando as nossas postagens, nesta segunda parte, publicamos aqui algumas fotos da Recepção do Bispo pelo pároco, na porta da igreja, sua entrada e paramentação na sacristia. As outras fotos (completas) estão no flickr e podem ser acessadas no final desta postagem.

Um esclarecimento: os paramentos com os quais D. Rifan chegou à igreja são próprios do Ordinário do lugar. Porém, o Arcebispo de Brasília lhe deu permissão para usar todos os paramentos e insígnias, inclusive a capa magna e o báculo - próprios do Ordinário local, como o próprio D. Rifan notificou no início da Santa Missa.


O Pároco, Pe. Marian recebe o Bispo e lhe entrega a caldeira de água benta.


Veja mais fotos da Recepção do Bispo no flickr

Após ter sido despido dos paramentos da entrada, reveste-se com o Amito e a Alva

A cada paramento, a oração própria: aqui, o Cíngulo

Após revestir-se com a Estola e a Cruz Peitoral, reveste-se da primeira "Dalmática" (Tunicela): de Subdiácono

Amarração das tiras da segunda Dalmática: de Diácono

Impostação da Chirotecae esquerda

Amarração da Casula

Imposição do Anel Episcopal

O Bispo e seu séquito


Veja mais fotos da Paramentação
(Completa - Parte 1) no flickr
                     Parte 2 no  flickr

6 comentários:

  1. Belíssimos paramentos! Traduzem a magnificência do mistério que se está a celebrar. E pensar que ainda tem gente que prefere o padre só de alva e estola....

    Agora, por favor tirem-me algumas dúvidas:

    1) A "dalmática de subdiácono" não seria a tunicela?

    2) Com a extinção da ordem de subdiácono, quem faz as suas vezes no Rito de Pio V ?

    3) Essa pessoa que faz as vezes de subdiácono utiliza as vestes próprias de subdiácono ?

    4) No Rito de Paulo VI, quem ainda usa a tunicela e em quais circunstâncias?

    5) E as luvas pontificais? Ainda podem ser usadas no Rito de Paulo VI? Em que circunstâncias?

    Parabéns pelo trabalho! Deus os ajude a continuarem assim!

    ResponderExcluir
  2. Caro Sávio,
    1.Sim, a dalmática do subdiácono naquela forma é chamada de tunicela; escrevi desta maneira apenas para um melhor entendimento. Mas é este sim seu nome correto.
    2.A ordem do subdiaconato é no rito de Pio V. Na forma ordinária (rito novo, de Paulo VI) é o Acólito instituído; por norma do direito canônico deve ser (aqueles que se preparam para a ordem do presbiterato) com uma diferença de no mínimo 6 meses antes da ordenação diaconal. Nesta mesma forma não se chama "ordem do acolitato", mas "Ministério do Acolitato".
    3. Suas vestes são: amito, alva e cíngulo, se se tratar de um secular (diocesano); se for um religioso, então o hábito talar, amito, alva e cíngulo.
    4. Não se usa em nenhuma circunstância, na Forma Ordinária.
    5. As "luvas" são chamadas de "Vimpas" e são usadas mormente na Forma Extraordinária.
    Na última visita há uma semana, do Santo Padre Bento XVI a Portugal, vimos os Acólitos e os coroinhas de luvas para o serviço do altar. Logo, deduz-se que não foram extintas em tal modo de celebrar. Mas boa questão. Vou pesquisar e te responderei com mais clareza.

    ResponderExcluir
  3. Quanto ao subdiácono, bem, aqueles que fazem uso exclusivo dos ritos de 1962 mantém esse ministério/ordem menor. Mas caso a Missa antiga seja oferecida em outros ambientes que não a tem como exclusiva, surge o problema: quem oficiará como subdiácono? As próprias rubricas de 1962 resolvem: podem atuar como diáconos e como subdiáconos os presbíteros, com vestes diaconais e subdiaconais. E os diáconos podem agir como subdiáconos, em vestes subdiaconais.

    Mas, e onde não houver presbíteros/diáconos suficientes para atuar como subdiáconos, não se fará Missa Solene? Não se terá o subdiácono, nem um de grau superior para agir como hipo-subdiácono. Nesse caso, a solução encontrada, conforme os cerimoniários da Administração Apostólica, é utilizar um acólito institutído, em vestes acolitais mesmo.

    Quanto às luvas, chamam-se normalmente chirotecae, e podem ser usadas na ordinária, embora não seja comum. As vimpas são os mantos e as luvas dos acólitos. As do Bispos são chirotecae.

    ResponderExcluir
  4. Notei ao analisar as fotos a existencia de uma segunda mitra e não entendi o motivo...Poderiam me explicar?

    ResponderExcluir
  5. Fr. Cleiton

    O ministério do acolitato instituído não é exclusivo para os seminaristas que se preparam para a ordenação diaconal, é obrigatório para eles, mas o CDC abre a oportunidade para que "varões leigos" o recebam inclusive com regulamentação da CNBB. Porém não é comum leigos o receberem, mas é permitido.

    Pergunto: para subdiácono sempre é um ordenado que atua nesta função ou até leigos podem exercer tal ministério?

    Sidnei

    ResponderExcluir
  6. Sidnei, eu respondi isso ACIMA. Basta ler os comentários.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...