Manchetes

Nosso Parceiro

domingo, 9 de maio de 2010

Música no Sexto Domingo do Tempo Pascal

Em 2010 o dia 9 de Maio é o Sexto Domingo do Tempo Pascal na Forma Ordinária do Rito Romano. Nela, a partir da Páscoa contamos os Domingos do Tempo Pascal: segundo, terceiro, quarto e assim por diante. Contando o Domingo da Páscoa como número 1, os seguintes ficam assim:

1 – Páscoa da Ressurreição
2 – Segundo Domingo da Páscoa (in albis, Domingo da Misericórdia)
3 – Terceiro Domingo da Páscoa
4 – Quarto Domingo da Páscoa
5 – Quinto Domingo da Páscoa
6 – Sexto Domingo da Páscoa

Na Forma Extraordinária funciona de outro modo. Depois da Páscoa, vem a Oitava da Páscoa, um Domingo chamado in albis – designação que se mantém também na Forma Ordinária, como colocado acima. Tal Domingo é também chamado de Domingo Quasimodo, sendo esta a primeira palavra de seu Introito.

O Domingo depois do Domingo in albis é, para a Forma Extraordinária, o Segundo Domingo depois da Páscoa, enquanto para a Forma Ordinária ele já é o terceiro. Assim, o rito tridentino conta um a menos.

1 – Páscoa da Ressurreição
2 – Oitava da Páscoa (Domingo in albis)
3 – Segundo Domingo depois da Páscoa
4 – Terceiro Domingo depois da Páscoa
5 – Quarto Domingo depois da Páscoa
6 – Quinto Domingo depois da Páscoa

Tudo isto para entendermos que o Sexto Domingo do Tempo Pascal (Forma Ordinária) é, na Forma Extraordinária, o Quinto Domingo depois da Páscoa. Ambos têm o mesmo Introito, cujo texto se toma do livro de Isaías, capítulo 48, versículo 20. Este mesmo texto é dado pelo Gradual e pelo Missal. No Missal que temos no Brasil, é assim:

Anunciai com gritos de alegria, proclamai até os extremos da terra: o Senhor libertou o seu povo, aleluia!

E em latim:

Vocem iucunditatis annuntiate, et audiatur, alleluia; nuntiate usque ad extremum terrae: liberavit Dominus populum suum, alleluia, alleluia.

A melodia gregoriana deste Introito foi composta no misterioso modo 3. Seu início apresenta uma bela forma em arco, ascendendo da nota principal do modo (mi) até o dó, uma sexta acima, na palavra iucunditatis; e depois descendo de volta ao mi ao longo da palavra annuntiate.

Esse arco se pode visualizar muito bem pelo leitor na figura abaixo, que mostra o início desse belo Introito, Vocem iucundidatis.

Início do Introito do Sexto Domingo do Tempo Pascal. Na Forma Extraordinária é o mesmo Domingo, embora chamado de Quinto Domingo depois da Páscoa.


Uma gravação feita no Mosteiro de São Bento de São Paulo pode ser ouvida neste site.

Como falei anteriormente, esta composição foi escrita no modo 3, o que a partitura indica pelo número 3 colocado acima da primeira letra do texto. Os modos gregorianos são oito, numerados de 1 a 8. O modo 3 é a escala de mi a mi, tendo como outras notas importantes, especialmente, lá e dó, que aparecem em destaque (como não poderia deixar de ser) na música destas primeiras três palavras, assim como em todo o restante.

Por se tratar de um texto litúrgico pascal, contém, como já vimos, alleluias. O penúltimo alleluia é neumático, cada sílaba cantada a, respectivamente, quatro, duas, cinco e duas notas. O último alleluia é melismático, cantando-se a sílaba le com vinte e uma notas. Ele também descreve um arco, começando no ponto mais grave da escala, subindo rapidamente, mantendo-se no agudo, até descer novamente na sílaba lu.

Alleluia melismático no fim do Introito

A antífona da Comunhão para o Sexto Domingo da Páscoa, no Rito Novo, não é uma só, no Graduale Romanum. São três, uma para cada um dos anos A, B e C do ciclo trianual da Liturgia do Domingo. Em 2010 estamos no ano C, então a Comunhão é Spiritus Sanctus, com texto do Evangelho segundo São João, capítulo 14, versículo 26:

O Espírito Santo vos ensinará, alleluia, todas as coisas que eu vos disse, alleluia, alleluia.

E em latim:

Spiritus Sanctus docebit vos, alleluia, quaecumque dixero vobis, alleluia, alleluia.

Recapitulando: na Forma Ordinária, esta é a Comunhão para o Sexto Domingo da Páscoa, ano C.

No rito tridentino não existe o ciclo de três anos, e sim um ciclo de um ano. Neste mesmo Domingo, na Forma Extraordinária, utiliza-se outra antífona na Comunhão.

Porém, Spiritus Sanctus, utilizada no Rito Novo, faz parte também da Forma Extraordinária, e continua neste rito tridentino prescrita como Comunhão da Segunda-feira dentro da Oitava de Pentecostes (a Oitava de Pentecostes, por sua vez, não existe no Rito Novo).


Comunhão do ano C do Sexto Domingo do Tempo Pascal.
Na Forma Extraordinária, é a Comunhão da Segunda-feira dentro da Oitava de Pentecostes.

(Uma gravação está disponível no mesmo site dado acima para o Introito)

Composta no jubiloso modo 8, esta antífona é neumática, quase silábica: são poucas notas por sílaba; uma única vez ocorrem quatro notas na mesma sílaba (o le do último alleluia), diversas vezes são três, duas ou mesmo uma. Se o leitor ainda não canta o gregoriano e tem interesse em aprender, pode sem dúvida nenhuma ter grandes esperanças de cantar esta Comunhão depois de não muito tempo!

O modo 8 é a escala de ré a ré, mas tendo sol como seu centro. Uma nota importante é o dó, na qual a melodia se apóia em vários momentos, tendo nele seu ponto mais agudo: a palavra vos, a sílaba cum de quaecumque, as sílabas di e ro de dixero, a sílaba lu do penúltimo alleluia e a sílaba le do último alleluia. Por coincidência – ou não –, é também o modo do venerável hino Veni creator spiritus, cantado no Ofício Divino a partir da Ascensão do Senhor até Pentecostes, e que dirige seu louvor ao mesmo Espírito Santo que, como nos diz Nosso Senhor Jesus Cristo no texto desta antífona de Comunhão, recordará aos apóstolos todas as coisas que dEle haviam ouvido.
blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...