Manchetes

Nosso Parceiro

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Santa Missa na Forma Extraordinária no CEN - "Parte 5"

Publicamos aqui desde o final da Preparação das Oferendas até a Comunhão. As fotos completas podem ser vistas no flickr, clicando nos links, no final desta postagem.


Os devidos posicionamentos
   
Pronunciando as palavras da Consagração
A genuflexão
A elevação para Adoração!
"Tantum ergo Sacramentum!"
Detalhe: a posição dos dedos
Abraço da Paz
"Domine, non sum dignus!"
"Ecce Agnus Dei, qui tollis peccata mundi!"
A Sagrada Comunhão
Os Bispos recebendo a Sagrada Comunhão
Também o povo de Deus
O Coral que cantava motetes como o Ave verum e Anima Christi




Veja mais fotos desta parte (completa) no flickr (Parte 1)
                                                                       flickr (Parte 2)


10 comentários:

  1. Acho que seria interessante postar a explicação da missa na forma extraordinaria do rito parte a parte, gostei muito mais não tenho entendimento do rito e gostaria muito de intendelo para ajudar e solicitar que seja celebrado em minha paroquia

    ResponderExcluir
  2. O Rito até pode ser o Extraordinário, mas a igreja foi construída para o Rito Ordinário. Logo, esta Missa (na minha opinião), "está coxa", assim como é "coxo" o Rito Ordinário. Ele é válido (embora imposto). Ele pode alimentar os fieis, mas não sacia. Falta algo... (falta algo de Sagrado).

    Isto para dizer o quê?

    Porque "o Caminho, a Verdade e a Vida" que está VIVO no Tabernáculo, foi preterido nesta igreja. Foi colocado de lado.
    "Toda a Honra e toda a Glória", não está no Seu devido lugar, que deve ser no Centro da Casa de Deus, assim como Ele deve estar no centro de um bom Católico, no Coração.
    O nosso corpo é "Templo do Espírito Santo" e foi no centro deste corpo que Deus colocou o nosso coração, que dá vida ao nosso corpo.

    A Igreja, a Casa de Deus também é um Templo do Espírito Santo e é no centro que deve estar o Coração da Igreja - O Tabernáculo.

    Ouvi uma vez este desabafo de um Padre.

    " - Colocar o Tabernáculo de lado ou num local escondido, é como colocar Deus numa despensa (aprisionado), onde O vamos buscar, como vamos buscar a vassoura, para limpar "a poeira das nossas Almas".

    Até parece que queremos "construir um Deus à nossa imagem e semelhança" e submisso ao Homem.
    Agir assim, conscientemente, é "aprisionar" os Méritos do Divino Salvador para os usarmos quando queremos, como quem vai à farmácia buscar um medicamento (Desabafo meu).


    José Costa - Sines - Portugal.

    ResponderExcluir
  3. Caro Anônimo, já há aqui no blog uma série de postagens que explicam o rito. Basta fazer uma boa pesquisa.

    ResponderExcluir
  4. Caro José Costa, não é a primeira vez que fazes esse tipo de comentário aqui. Digo, mais uma vez em relação ao espaço litúrgico, neste caso específico, que foi celebrada esta missa em tal paróquia por não haver uma que fosse específica e somente para tal forma extraordinária. Porém, creio que SUA afirmação de que tanto esta Missa a forma Ordinária 'estão' coxos é um erro gravíssimo, pois você prioriza uma só forma e não é o caso. No rito latino, como afirma o Santo Padre Bento XVI no Summorum Pontificum, "são dois usos do único rito romano" (cf. SP, Art.1). Ademais, os ritos e as formas não são constituidos de 'gostos pessoais'. Sua opinião é válida, porém, como noutro comentário seu, falta o conhecimento de "loquo", isto é, do lugar e das circunstâncias em que foram celebradas para poderes fazer tais afirmações. Concordo contigo no que se refere à centralidade do Tabernáculo, do Sacrário; mas se não é possível, ao menos que se aproxime o máximo pela tentativa de significar aquilo que de fato deve ser: culto de adoração e latria a Deus!

    ResponderExcluir
  5. Lembrando que mesmo antes do Concílio a Congregação dos Ritos recomendava que em basílicas e catedrais o tabernáculo ficasse em uma capela própria, devido ao grande concurso de fiéis e o grande número de ofícios solenes que haviam nessas igrejas. Assim, quem quisesse um momento de oração mais íntima poderia fazê-lo na capela. Lembrando que mesmo em S. Pedro o Santíssimo fica em uma capela própria, mesmo já tendo sido costume desde Trento o tabernáculo no altar-mor, como por exemplo fez S. Carlo Borromeo em sua catedral. Logo, o sacrário em capela própria não pode ser em si algo mal.

    ResponderExcluir
  6. Peço desculpa, se não me expliquei bem.
    Não pretendo discussão com quem saberá mais do que eu.
    O "Salvem a Liturgia" permite e convida a um comentário. É isso que faço, com a minha sensibilidade e com a minha experiência de vida e de Fé.
    Disse "coxo" (entre aspas) e mantenho. "Coxo" não é para ser levado à letra. Com "coxo" pretendo dizer: não perfeito.
    Se eu estivesse presente nessa Missa não seria insensível a esse facto, de alguém ter decidido construir uma Igreja em que o Tabernáculo não ficaria no centro. Mas afinal, porquê? Que outra coisa seria mais importante?
    Este facto não tem nada a ver com as diferenças dos dois Ritos.
    A Capela lateral (se é realmente Capela lateral), terá certamente um altar. Se a Igreja aceitou com esse objectivo, eu também aceito. Mas não gosto de ver.
    O que eu me queixo é de, sem razão nenhuma que o justifique, após o CVII em muitas Igrejas o Tabernáculo ter sido retirado do centro (onde tinha sido colocado de raíz) para ser colocado num canto; e tantas vezes escondido.
    Resultado. Tantas vezes vi pessoas entrarem numa Igreja e ignorar completamente o Tabernáculo, para irem rezar virados "apenas" para o altar (ou para um Crucifixo).
    Conheço até uma Igreja em que, após algum trabalho de procura lá encontrei o Sacrário. Estava em cima de quatro tijolos, coberto de tecidos de cores garridas. O chão, à frente do Sacrário estava coberto de almofadas (para dormir??). Compreende agora a minha indignação?
    Esta atitude (também), ao longo dos últimos tempos tem levado à dessacralização da nossa sociedade, promovida neste caso pelos próprios Católicos.

    frei Cleiton.
    Rezemos juntos para que Deus, em Jesus Cristo, Reine realmente nos nossos corações e para que Ele seja sempre o Centro da nossa vida.

    "Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte.
    Amem."

    Paz e Bem.


    José Costa - Sines - Portugal.

    ResponderExcluir
  7. Meu caro José Costa, a sua "indignação" é, certamente, a expressão de tantos outros fiéis católicos! Vivemos um momento na Igreja de revigoramento litúrgico. Oxalá a nossa geração consiga promover um real encontro com NSJC, por meio da Divina Liturgia, dos Santos Mistérios do Deus que se nos revela e se nos mostra no Pão Sagrado! Dessa maneira teremos sempre em nós JC como nosso SENHOR=DOMINUS=KYRIOS! E não nossos caprichos pessoais e intimistas!

    ResponderExcluir
  8. Conheço o Rito Tridentino, mas desconheço o fato da posição dos dedos. Alguém poderia me explicar porque isso, qual a posição....?

    ResponderExcluir
  9. Usa-se os dedos que tocam a hóstia unidos para evitar qualquer contato profano.

    ResponderExcluir
  10. Gostaria muito dos vídeos do coro...
    O site teria?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...