Manchetes

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Vestes corais e Capa Magna


Vestes Corais

Vestes corais são o conjunto de vestes que os clérigos usam em certas circunstâncias tais como:
  • Dirigir-se publicamente à igreja ou dela retornar;
  • Assistir à Santa Missa ou outro rito litúrgico;
  • Presidir algumas horas canônicas (completas, terça, sexta, noa e ofício das leituras);
  • podem-se usar ainda para orações privadas e atos de piedade em local sagrado.

Peças do vestuário

Antes de falarmos das vestes corais propriamente ditas, faz-se necessário apresentarmos algumas peças do vestuário que as compõem:
  • Batina Coral Episcopal ou Litúrgica: é a batina violeta com botões, filetes, abotoaduras, punhos e forro vermelhos. É usada por monsenhores e bispos. Recebe o nome de batina litúrgica pelo fato de ser usada quase que exclusivamente em ocasiões litúrgicas, seja nas vestes corais, seja sob as vestes sagradas.
monsenhor em Roma, detalhe para o punho vermelho.
bispo no Vaticano, observa-se os botões, abotoaduras e filetes vermelhos, além dos punhos.

Dom Fernando Rifan faz uso desta batina sob as vestes sagradas para a celebração da missa.
  • Batina Coral Cardinalícia: de maneira análoga à batina dos bispos, os cardeais usam nas vestes corais uma batina distinta da negra. Também pode ser usada sob os paramentos de missa ou liturgia das horas.
batina coral cardinalícia
O cardeal Raztinger, hoje Bento XVI, faz uso da batina coral sob a alva ao celebrar.

  • Murça e Manteleta: a primeira é uma pequena capa usada sobre roquete ou sobrepeliz. Possui geralmente 9 botões à frente, seu comprimento vai até os cotovelos. A manteleta é mais ampla, chegando até os joelhos e possui uma abertura à frente.
à esquerda, o uso da murça; à direita, da manteleta.

  • Barrete e Solidéu: barrete e solidéu são usados na cabeça um sobre o outro, um artigo sobre eles aqui.
  • Cruz Peitoral e Anel: são as insígnias usadas pelos bispos junto as vestes corais. Pode-se ver mais sobre elas aqui.

Vestes corais de cada clérigo

A seguir listamos os itens que compõe a veste coral dos clérigos e respectivas fotos:
  • Padres e Diáconos:
Usam batina , a mesma usada ordinariamente munida de faixa negra, com sobrepeliz. Podem usar ainda solidéu e barrete pretos, este último com pompom da mesma cor. Se for costume, portam ainda a murça negra. Sapatos e meias pretos.
http://lh4.ggpht.com/_-gMPbLoDUpU/S92JUyI_moI/AAAAAAAABjs/xM0Zhv7KcNU/OgAAACK92WlOosklpsGcxxicej7M07SYykicuhJFGQXfJ8rZHlauBSf3uhfa-HBPJTbXYzZk85zWr-eSN7raa_QRHU8Am1T1U_thumb.jpg

http://lh4.ggpht.com/_-gMPbLoDUpU/S92JXo5w9PI/AAAAAAAABj0/lCMBa5h8fI4/OgAAANHlqI0jD47TPF2buUC-CbhqdbHAvycYCvtyHP3MssBxblftJG9mObj8999PL9cSvHD45tnc1Fe1KcJ3dKZR8PEAm1T1U_thumb.jpg
Uso das vestes corais com murça.

capa magna
Acompanha o Cardeal um padre em vetes corais sem murça, nota-se o uso do barrete.
  • Monsenhores capelães:
A veste dos monsenhores capelães de Sua Santidade é semelhante a dos presbíteros citados anteriormente. As diferenças são: filetes, botões, abotoaduras e forro tanto da batina quanto da murça (se for usada) são violetas. Também a faixa da batina e o pompom do barrete e os frisos do solidéu são desta cor. As meias podem ser pretas ou violetas.
  • Monsenhores Prelados de Honra e protonatários supranumerários:
A estes clérigos está previsto o uso da veste talar violeta (batina episcopal coral) com sobrepeliz. Não se prevê murça nem manteleta. Podem portar ainda solidéu e barrete, negros. Meias violetas.

Secretário pessoal do papa envergando as vestes corais.
  • Monsenhores protonatários numerários e alguns outros clérigos da cúria romana:
Sobre a batina coral episcopal usam roquete ou sobrepeliz. Endossam a manteleta violeta, com debrum, ornados e forro vermelhos. Sapatos negros com meias violetas. Se usarem barrete, este será negro com pompom vermelho, o solidéu com frisos violáceos.

Protonatário apostólico na basílica vaticana com vestes corais usando a manteleta.

Protonatários apostólicos numerários na basílica vaticana.
  • Bispos e Arcebispos:
Usam a batina coral episcopal com roquete ou sobrepeliz, murça violeta com ornamentos e forro vermelhos. Sobre a murça levam a cruz peitoral em cordão verde-dourado. Solidéu e barrete violetas, com pompom da mesma cor. Sapatos pretos e meias violetas.



bispos assistindo a missa em vestes corais.

Arcebispo emérito de Saint Louis, em vestes corais.
  • Cônegos:
As vestes corais dos cônegos não seguem uma norma universal, sendo variáveis em cada cabido. Via de regra, os cônegos usam murça preta ou cinza sobre sobrepeliz e batina. Pode ser dado aos cônegos o direito de usar cruz peitoral em cordão dourado-violeta.
Em algumas sés “cardinalícias” os cônegos catedrálicos usam barrete com pompom vermelho e em algumas basílicas de Roma, os cônegos endossam manteleta. É certo, porém, que os cônegos não podem se vestir como os bispos.


http://lh3.ggpht.com/_-gMPbLoDUpU/S92JbV0kXBI/AAAAAAAABkE/wJTnDUNSloc/mons-joao_mant02_thumb%5B1%5D.jpg?imgmax=800
Mons. João Clá Dias, cônego honorário da Basílica de Santa Maria Maior.

http://lh3.ggpht.com/_-gMPbLoDUpU/S92JeZkI04I/AAAAAAAABkM/bfc74zsXaA4/Mgr_Eijk-Heilig_Bloed_thumb%5B1%5D.jpg
Cônegos acompanham o bispo.
  • cardeais:
As vestes dos cardeais são semelhantes às dos bispos. Tudo que é violeta para os bispos é vermelho para os cardeais.
Assim, eles usam batina coral cardinalícia roquete ou sobrepeliz, murça vermelha. Sobre ela, cruz em cordão vermelho-dourado. Usam solidéu, barrete, faixa da batina e meias vermelhos.

Criação de um cardeal, com a imposição do barrete vermelho.

Colégio de cardeais em vestes corais.

  • Papa:
Tradicionalmente, o santo padre usa batina branca (mesma usada ordinariamente) com sobrepeliz ou roquete. Usa murça que pode ser vermelha ou, no tempo pascal, branca; munida ou não de arminho. Porta ainda cruz peitoral em cordão dourado, anel e solidéu branco. Pode usar ainda barrete branco, embora esteja em desuso. Nos pés, o papa usa meias brancas e os tradicionais sapatos vermelhos, múleos.
É muito comum que o papa use estola sobre as vestes corais, esta estola que pode ser vermelha ou branca (dourada).

Papa Bento XVI usando murça vermelha sem arminho.

Papa Bento XVI em vestes corais, nota-se o uso da murça vermelha com pele de arminho.

Papa João XXIII, usando vestes corais e estola.

João Paulo II em vestes corais.

Bento XVI com murça branca, durante o tempo pascal.
  • Clérigos regulares:
Os clérigos regulares cuja ordem possui hábito próprio usam-no como veste coral. Algumas ordens possuem vestes que se anexa ao hábito em algumas ações litúrgicas. Um exemplo disso é uso da cógula monástica pelos beneditinos.


Capa Magna
A capa magna é um amplo manto de até 24 metros. Os bispos usam-na em seu território nas ocasiões mais importantes junto com vestes corais. Ela é presa sob a murça e sua parte posterior é segurada por um acólito que recebe o nome de caudatário. A capa magna é símbolo significativo de solenidade e jurisdição.
o bispo em vestes corais com a capa magna violeta, sendo recebido à porta da igreja.

Solene entrada de um cardeal na igreja, os presentes ajoelham-se.
Cardeal Hoyos portando a capa magna. Serve-lhe um pequeno caudatário.

O cardeal Woytila, depois João Paulo II, usando a capa magna vermelha.

Outras fotos

Arcebispo Emérito do Rio de Janeiro, Dom Eugênio Cardeal Sales, na posse de Dom Orani.

Colégio de Cardeais Reunido na Basílica de São Pedro.

Celebração na praça de São Pedro, à qual muitos clérigos assistem em vestes corais.

Sua Santidade e seu irmão, ambos em vestes corais, cada qual conforme lhe é previsto.

Conclusão

As vestes corais são uma riquíssima parte da liturgia da igreja que, infelizmente, vem se perdendo. É cada vez menos comum vermos bispos usando-as ou mesmo padres de batina e sobrepeliz. Tais vestimentas são parte do vestuário litúrgico que tem como fim último exprimir a beleza da liturgia celeste na qual se encontra Nosso Senhor. Se a Igreja perde parte de sua liturgia torna-se menos apta a apontar para os céus e levar, por meio do ambiente litúrgico, as almas ao encontro de Deus.
OgAAABIiNX6aSzIZPDyi4oNzx0GrbNBfJAzFCLi8isPS0XRHe6-TwtMBDFMB_ZUi2EBLLvqNKgPBjqbFjlg9nole_hwAm1T1U
Ao centro e embaixo, o futuro papa João XXIII.

Bibliografia:
  • Cerimonial dos Bispos, Capítulo IV;
  • Cerimonial dos Bispos, Apêndice I: Vestes Prelatícias;
  • Intrução sobre as vestimentas dos bispos, cardeais e prelados menores, Papa Paulo VI- 30 de Outubro de 1970;
  • Cattolici Romani: http://www.cattoliciromani.com/forum/showthread.php/abito_clericale-9553.html;
  • Una voce venetia:http://www.unavoce-ve.it/ec-mantelletta.htm;
  • Una voce venetia:http://www.unavoce-ve.it/ec-mozzetta.htm.

22 comentários:

  1. o nome correto para as tal peça das vestes corais não seria ao invez de murça, mas mozeta? como apresenta o cerimonial dos bispos?
    murça não seria esta de tecido plumoso branco da ultima foto?

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! Poderiam agora falar sobre as vestes orientais.

    ResponderExcluir
  3. Não. Murça e mozeta podem ser usados como sinônimos. O tecido da última foto se chama pele de arminho, a saber o uso foi abolido para as murças dos bispos.

    ResponderExcluir
  4. E quanto a do Dom Rifan, na Postagem da Missa a Forma Extraordinária no 16º CEN, a dele era de Arminho?
    E falando dessa Missa, Dom Rifan pode usar a Capa Magna fora da Sua Prelazia?
    Os Cardeais podem usar a Capa Magna com a Murça de Arminho?
    Qual o Significado de Alguns Capuzes em algumas Murças? Como a do Papa.
    Obrigado.
    Pax.

    ResponderExcluir
  5. Dom Fernando Rifan usa as vestes corais segundo a regra anterior ao Motu Proprio de Paulo VI.
    Sim é murça de arminho.
    Não é uma prelazia, mas uma administração apostólica, e é "pessoal" sem uma área definida. Logo ele não estava fora de sua área de jurisdição.
    Segundo o Motu de Paulo VI, não.
    Não existe um significado, é apenas remanescente. E foi abolido por Paulo VI.
    Que foto de papa que tem capuz?

    ResponderExcluir
  6. Pode-se notar que a última foto do Papa com seu irmão tem um pequeno detalhe do capuz.
    Jean.

    ResponderExcluir
  7. Na primeira foto do item: Cônegos, os cônegos usam uma murça com um "capuzinho" e nas seguintes fotos:
    http://www.stefanospaziani.it/Papa9274.htm
    http://www.stefanospaziani.it/Papa8505
    o Papa Bento XVI também usa uma Murça com um "capuzinho".
    Mais uma "coizinha", por que a Murça do Papa é Vermelha e não Branca (exceto no Tempo Pascal) o tempo todo?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  8. Em relação ao capuz, creio que seja um resquício do amplo capuz que a murça tinha e que foi abolido pelo Motu Proprio de Paulo VI.
    Sobre a cor vermelha nas vestes do papa isso vem do tempo que as vestes do papa eram vermelhas como a dos cardeais. O papa passou a usar o branco e ter essa cor como distintivo apenas com, não me falha a memória, São Pio V. Entretando, por conta do uso anterior, algumas peças permaneceram vermelhas, a murça é uma delas.

    ResponderExcluir
  9. Eu achava que o capuz era para distinguir as Murças, pois as dos Presbíteros (Onde se tem o Costume) e as dos Cônegos tecnicamente são Pretas, e as dos Cardeais e do Papa são Vermelhas.
    Logo as que teriam os capuzes seriam as dos Cônegos e a do Papa.
    Obrigado.
    Paz.

    ResponderExcluir
  10. Kairo,

    A Administração é pessoal, mas possui, sim, território ordinário. Os fiéis é que se ligam a ela de modo pessoal. Portanto, D. Rifan estava fora da jurisdição.

    Ele usou capa magna por conta da autorização que lhe deu o Ordinário local, o Arcebispo de Brasília.

    ResponderExcluir
  11. Mas essa questão de prebitero usar murça eu nunca presenciei em lugar algum esse tipo de veste. Onde encontramos esa fundamentação, e qual o documento que fala sobre esas coisas.?

    ResponderExcluir
  12. Ola. Gostaria de saber se seminarista pode usar mozeta, barrete e solidéu.

    ResponderExcluir
  13. Eu gostaria de saber qual o nome de uma "capa" semelhante a mozeta, mas vai diretamente sobre a batina e não por cima do roquete, ela é preta porém com a costura violácea ou vermelha depende do grua hierárquico, enfim ela também pode ser chamada de murça ou mozeta?

    ResponderExcluir
  14. Seminarista pode usar vestes corais ?

    ResponderExcluir
  15. E não está usando quando veste a sobrepeliz por cima da batina, Lucas? :)

    ResponderExcluir
  16. Está muito bom. Só dois reparos:
    1º) não é violeta. A cor é fúcsia.
    2º) há dioceses em que os cónegos usam batina fúcsia. Portanto, não é certo (como dizem) que não possam usar vestes corais dessa cor. Ex: em Lisboa, as vestes corais dos cónegos são fúcsia.

    ResponderExcluir
  17. 1º) Cerimonial dos Bispos - Apêndice I

    "1199. As vestes corais do Bispo (...) são: hábito talar violeta; faixa violeta, guarnecida de franjas (...), mozeta de cor violeta (...) solidéu também de cor violeta; barrete de mesma cor, com borla. Meias também de cor violeta."

    2º) Em nenhum momento do texto se diz que os cônegos não possam usar batina violeta, diz-se que a a veste coral dos cônegos não pode ser igual a dos Bispos.

    ResponderExcluir
  18. Não é comum ver no Brasil após o Vaticano II, bispos usando barrete, mesmo com vestes corais. Alguém sabe algo a respeito? Pelo que sei em nenhum momento ele foi abolido...

    ResponderExcluir
  19. ...infelizmente está caindo em desuso, para nossa tristeza

    ResponderExcluir
  20. "1208. Os Protonotários Apostólicos supranumerários e os Prelados honorários de Sua Santidade:

    a) Como hábito coral, usam veste talar de cor violeta ou faixa de seda da mesma cor, guarnecida de franjas, sobrepeliz não frisada e barrete preto com borla PRETA;" (Cerimonial dos Bispos)

    O uso da borla violácea no barrete dos monsenhores das categorias mencionadas, vem de onde, já que o Cerimonial dos Bispos diz que deve ser preta? Seria reminiscência de rubricas anteriores?

    ResponderExcluir
  21. QUALQUER SACERDOTE PODE FAZER USO DA MOZETA NEGRA?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...