Manchetes

Nosso Parceiro

terça-feira, 7 de junho de 2011

Por que os papas eram coroados?

Publicamos um excelente artigo, traduzido por nosso leitor e amigo do Salvem a Liturgia, Vinícius Farias, em seu blog Sentinela no Escuro.

[Canterburry Tales; Tradução: Sentinela no escuro] Nos dias antigos, quando a liturgia da Igreja Romana "era suntuosa e gloriosa", observava-se um costume piedoso na Quinta-feira da Ascensão.
Em Roma, a Quinta-feira da Ascensão era sempre celebrada na Basílica de São Pedro (no Vaticano). O Santo Padre o Papa celebrava o Santo Sacrifício da Missa no Altar-mor sobre a tumba de São Pedro.
Depois da Santa Missa, os cardeais se reuniam em torno do Papa para a cerimônia de coroação. Nesta cerimônia os cardeais coroavam solenemente o Papa como o Vigário de Cristo na terra. Então o Papa e os cardeais iam até a Basília de São João do Latrão – a catedral da Igreja de Roma – Mãe e Senhora de todas as Igrejas.
O que isto significa?
Nosso Senhor Jesus Cristo é o verdadeiro Rei e Sumo-sacerdote da terra e do céu. Ele é o Rei da glória. Porém Ele escolheu São Pedro e deu a ele um nome divino usado por Deus nos salmos: Pedra ou Petrus. Ele também confiou a Pedro as chaves do Reino e a jurisdição universal de toda a terra: “Tudo o que ligares na terra”. Eu gostaria de lembrar aos orientais separados que Pedro não era somente o patriarca do ocidente (Cristo não disse, “Tudo o que ligares na Europa”), mas o Sumo Pontífice por toda a terra.
Então desta forma, a Quinta-feira da Ascensão marca o [início do] reino terreno de São Pedro. Quando Cristo deixa a terra por meio da Ascensão para a direita do Pai, São Pedro neste momento se torna oficialmente o “Vigário de Cristo na terra”. Vigário, é claro, significa “no lugar de”, como um “Vice-presidente”.
Assim, Pedro não é Deus. Ele não é Jesus Cristo. Ele não é nem mesmo um anjo.Certamente ele não era imaculado. Porém, Pedro é divinamente apontado líder da Igreja de Cristo na terra. Ele reina para o seu senhor no céu. Isto é verdade para todos os papas que sucederam São Pedro nesta missão.Em seguida os cardeais simbolicamente coroavam o Sucessor de São Pedro neste dia para representar esta verdade profundamente bíblica da missão e do papel de São Pedro.
Segue um vídeo da coroação inaugural de Sua Santidade o papa Pio XII:


Achei este texto muito interessante. Creio que alguns terão um certo susto ao ler logo no início “quando a liturgia da Igreja Romana era suntuosa e gloriosa”, porém aos poucos o autor acerta o passo e revela muitas coisas relevantes. Eu nunca tinha ligado a Ascensão do Senhor ao início do reinado terreno de Pedro. E realmente faz todo o sentido. A Ascensão marca o momento em que Cristo deixa a terra até a sua volta no fim dos tempos. Com isso, sua Igreja não poderia ficar sem um chefe, alguém que garantisse que seus ensinamentos não fossem deturpados, alguém que reunisse o povo que livremente disse “sim” ao Filho de Deus.
Falamos aqui sobre a questão da tiara papal. Na minha opinião de leigo ela representa dois pontos contraditórios. De um lado o fato bíblico já explicado acima: Cristo deu a Pedro (e a seus sucessores) a prerrogativa de agir em seu nome. Do outro fica fortemente evidente as lembranças de um poder temporal corrupto que por muitos anos feriu o coração de Cristo e dividiu a Igreja. Ainda assim creio que o seu uso, em especial nos dias de hoje, faria mais bem do que mal. Confiemos na assistência do Espírito Santo. Que Ele ilumine Bento XVI e os próximos papas. Ele que é o único a guiar a Igreja na garantia de que “as portas do inferno não prevalecerão”.
blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...