Manchetes

Nosso Parceiro

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Todos os Santos e o canto do Sanctus


No momento do Prefácio do Sacrifício da Missa, o sacerdote dirige-se a Deus para relembrar seus louvores e suas maravilhas e, no final, exorta os fiéis da Igreja Militante a se unirem ao canto dos anjos e dos santos para cantarem a Santidade do Deus Três vezes Santo. Este momento pode ser vivido de forma muito especial na Liturgida da Missa de Todos os Santos. Lembremos nesse momento que não estamos sozinhos. Ao participarmos da Santa Missa, estamos unidos espiritualmente a todos os santos e anjos no Céu, mesmo aqueles dos quais não conhecemos o nome. No Sanctus, a Igreja canta em toda a sua unidade a Santidade sublime Daquele que a faz Santa e que é a origem e fonte de toda a santidade.

Para ilustrar isso, vejamos abaixo as iluminuras do Sacramentário do rei dos francos Carlos II, o Calvo, datado de c. 870, que decoram as páginas do Prefácio e do Sanctus da Missa.

Na primeira imagem, do Folio 05 nrº, vemos Cristo entronizado nos Céus, acima de um serafim, rodeado por anjos e pelos tetramorfos simbolizando os 4 evangelistas. Aí vê-se representada a santidade e a glória da qual goza o Verbo de Deus humanado, assentado à dextra do Pai nos Céus.


No Folio 05 vº vemos a multidão dos santos prestando adoração ao Senhor que reina nos Céus e se fará presente sobre o Sacramento Santíssimo do Altar. Muitos deles oferecem coroas, lembrando a visão que São João Evangelista teve do Trono de Deus.


No Folio 06 rº vemos novamente o Cristo em Majestade (maiestas Domini) ladeado por dois serafins, acima de duas alegorias, provavelmente representando o Céu e a Terra, repletos de Sua Glória.



Que possamos, pois, nos lembrar sempre dessa excelsa realidade da Comunhão dos Santos e nos unirmos a eles para cantar a Santidade de Deus que nos santifica e nos eleva.

O Sacramentário de Carlos II (do ano 870) pode ser vizualizado completo neste link.

blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...