Manchetes

Nosso Parceiro

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Dúvidas sobre liturgia? O Salvem a Liturgia responde - Parte 2



“Olá, equipe do Salvem a Liturgia! Gostaria de saber se cantar as orações eucarísticas e o cordeiro é obrigatório. O ministério de música onde canto tem sido "corrigido" quando, em certas celebrações, não cantamos pois as melodias que cantam aqui não são piedosas eu disse que a IGMR não nos obriga e me disseram que se é uma cultura da paróquia, eu tenho que fazer. O que faço?” (Igor Teles)

Prezado Igor,

Nenhum canto na Missa é obrigatório, pois a Igreja sempre nos obriga ao mínimo. Imagine se fosse exigido um coro como o da Capela Sistina em todas as Missas. Ai de nós!

Já participei de Missas dominicais que, mesmo sem cantos, foram muito mais piedosas do que muita Missa por aí cheia de instrumentos e animações. Contudo, a Igreja reconhece a importância do canto na Liturgia (IGMR, 39-41) e por isso recomenda fortemente que haja canto nos domingos e dias de preceito:

Ainda que não seja necessário cantar sempre todos os textos de per si destinados ao canto, por exemplo nas Missas dos dias de semana, deve-se zelar para que não falte o canto dos ministros e do povo nas celebrações dos domingos e festas de preceito. (IGMR, 40)

Não é necessário, contudo, que todas as partes "cantáveis" sejam de fato cantadas:

Na escolha das partes que de fato são cantadas, deve-se dar preferência às mais importantes e sobretudo àquelas que o sacerdote, o diácono, o leitor cantam com respostas do povo; ou então àquelas que o sacerdote e o povo devem proferir simultaneamente. (IGMR, 40)

Dentre estas partes estão certamente aquelas que compõem as partes fixas (Ordinário) da Missa (i.e. Kyrie, Gloria, Sanctus, Agnus Dei, também o Credo e o Pater Noster) e aquelas que acompanham algum rito (como a Procissão de Entrada, do Ofertório, da Comunhão). Faz-se necessário deixar claro que não é preciso que todas sejam cantadas.

Quanto às Orações Eucarísticas, você fala em cantá-las. Como quem canta a Oração Eucarística é o sacerdote e eventuais concelebrantes), imagino que esteja se referindo a cantar as respostas para os diversos parágrafos das Orações Eucarísticas, que foram aprovadas em forma experimental para o Brasil. Sendo este o caso, minha opinião pessoal é que só deveriam ser cantadas quando o sacerdote também canta o trecho que antecede a resposta.


Fique com Deus,
Daniel Volpato


“Meus amigos do Salve a Liturgia gostaria de saber onde posso encontrar o Missal Cotidiano à venda? De preferência não muito velho. Desde Já agradeço.” (Wesley Almeida)

Prezado Wesley,

O autor da pergunta não especificou se o Missal é para a Forma Ordinária ou Extraordinária do Rito Romano. No primeiro caso é possível encontrá-lo em livrarias católicas, sob o título de Missal da Assembléia Cristã, publicado pela Paulus. E em ambos os casos é possível encontrá-lo em sebos físicos e virtuais como o Estante Virtual. No caso específico do Usus Antiquior ele pode ser encomendado pelo site Missa Tridentina.

Fique com Deus,
Daniel Volpato


“Se uma pessoa se confessar a um sacerdote e, ao invés desse sacerdote dar a fórmula da absorvição: "Eu te absorvo, em nome do Pai e do filho e do Espírito Santo". Ele diz com reta intenção: "Filho, teus pecados estão perdoados em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo". Essa confissão foi válida?” (Lucas Lima)

Prezado Lucas,


Infelizmente não. Um dos requisitos para a validade de um sacramento é a forma. No caso da Reconciliação, o mínimo para a validade é que o sacerdote diga:  “E eu te absolvo dos teus pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.”

A paz,
Daniel Volpato


“Por que na Sexta Feira Santa o rito litúrgico se chama "Adoração da Santa Cruz"? Se a cruz não é Deus?” (Victor da Silva Oliveira)

Prezado Victor,

É porque trata-se de culto relativo, não de culto absoluto. Este é dirigido às pessoas que são objeto de culto, enquanto aquele é prestado às imagens ou relíquias com as quais as pessoas se relacionam, sendo em última instância também dirigidos a elas. O delegado já respondeu essa no Veritatis: http://www.veritatis.com.br/inicio/espaco-leitor/5617-leitor-espanta-se-com-a-expressao-adoracao-da-cruz.

Fique com Deus,
Daniel Volpato

“É correto o leitor receber a Sagrada Comunhão no presbíterio?” (João Victor Rodrigues Santos)

Prezado João Victor,

Se ele já se encontra sentado no presbitério desde o início da Missa, me parece melhor que receba ali mesmo. Se ele se encontra na nave e sobe apenas para comungar no presbitério, definitivamente não.

Contudo, a pergunta a ser feita é qual o local ideal para o leitor sentar. Pelo fato de que a maioria dos leitores que vemos por aí servem como leitores extraordinários, não tendo sido instituídos para tal, e pela própria natureza do ministério instituído do leitorato e pelo papel que ele exerce na Liturgia, penso que é melhor que ele sente na nave, em bancos próximos ao presbitério. E, neste caso, comungue também na nave, juntamente com o povo.

A paz,
Daniel Volpato

“Um seminarista pode usar hábito eclesiástico?” (Guilherme Pimentel)

Prezado Guilherme,

Sim. Contudo, quem decide de fato a roupa dos seminaristas é o Ordinário local.

Fique com Deus,
Daniel Volpato

blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...