Manchetes

Nosso Parceiro

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Benção dos animais no dia de Santo Antão


Quando falamos em benção de animais, a imensa maioria dos católicos irá pensar imediatamente em São Francisco de Assis, em cuja memória, principalmente em igrejas franciscanas, se costuma abençoar os animais, por conta da relação do santo com estes e com a natureza. Contudo, o padroeiro dos criadores de gado e protetor dos animais domésticos e de estábulo é Santo Antão, cuja memória celebra-se neste 17 de janeiro.

Santo Antão e os animais


Santo Antão
Santo Antão, que foi um dos fundadores da vida monástica, nasceu em uma família de agricultores na aldeia de Coma, atual Qumans, no Egito. Entretanto, sua relação com os animais, na devoção popular, ocorreu um bom tempo depois de sua vida.

Suas relíquias começaram uma longa peregrinação em 561 e chegaram até Motte-Saint-Didier, França, no século XI. Lá foi construída uma igreja em sua honra, muito frequentado por doentes, em particular daqueles que sofriam de ergotismo canceroso, uma doença causada pelo envenenamento por um fungo contido no centeio utilizado para a fabricação de pão. Tamanho era o número de padecentes do ergotismo que visitam aquela igreja que o próprio ergotismo chegou a ser chamado de “o mal de Santo Antão” e de “o fogo de Santo Antão” (por conta da sensação de queimação que causava). Os doentes que lá chegavam eram acolhidos e tratados pela antigo Ordem hospitalar dos Antonianos, a quem o Papa concedeu o privilégio de criar porcos, cuja gordura era utilizada no tratamento do ergotismo.

Assim Santo Antão começou a ser associado ao porco pela devoção do povo, o que acabou se estendendo aos outros animais. No ícone do santo eremita aparece um porquinho com um sino, objeto que era amarrado aos porcos em Motte-Saint-Didier, para facilitar sua localização.

Benção litúrgica dos animais


Ao homem de hoje pode parecer um pouco desnecessário abençoar os animais, uma vez que nossa dependência deles ao menos aparentemente diminuiu. Na verdade não nos damos conta desta dependência, porque existem um ou mais intermediários para que a peça de carne que vemos pendurada no açougue e a lã de ovelha que encontramos em tapetes ou peças de roupa cheguem até nós.

Todavia, até pouco tempo atrás, os animais estavam no centro da vida de todos os homens, em todos os lugares, mesmo nos grandes centros. Deles o homem obtinha transporte, alimento, roupas, auxílio na agricultura. Numa sociedade tão diretamente dependente dos animais e tendo o povo uma fé firme, foi natural que passassem a recorrer aos sacerdotes para que abençoassem seus animais, da mesma forma como hoje recorremos a eles para que abençoem nossos carros e demais veículos de transporte.

Jean Baptiste Thomas. Bendición de los animales en San Antonio Abad. Roma, 1823.
Com o passar do tempo o Rituale Romanum passou a recolher bênçãos para aves, abelhas, ovelhas, vacas, cavalos. A benção litúrgica dos animais para o dia de seu santo padroeiro, entretanto, acabou não sendo recolhida no Ritual. Esta começou quando o Cardeal Próspero Lambertini (futuro Papa Bento XIV), então arcebispo de Bolonha, ordenou que seus sacerdotes substituíssem as fórmulas que utilizavam por aquelas que os antonianos popularizaram em Roma, “porque é claro a todos o quanto importa a uniformidade nas cerimônias sagradas, sem deixar lugar para que cada um as invente segundo seu capricho”. A partir disso começou a se popularizar. Por exemplo, em 1764 foi traduzida para o espanhol pelo frade agostiniano Juan Facundo Raulín.

Em Roma


Hoje celebrou-se a festa de Santo Antão no Vaticano. A Santa Missa foi presidida pelo Cardeal Angelo Comastri, vigário do Papa para a Cidade-Estado, às 10h30, seguida de um desfile a cavalo pela Via dela Conciliazione. Por fim foram abençoados os animais que foram organizados em estábulos.

Cardeal Comastri abençoa animais em 2008

A benção dos animais para o dia de Santo Antão


BENEDICTIO EQUORUM ET ANIMALIUM, IN DIE SANCTI ANTONII ABBATIS, FACIENDA.

V. Adjutorium nostrum in nomine Domini.  R. Qui fecit coelum et terram. 
V. Domine, exaudi orationem meam. R. Et clamor meus ad te veniat. 
V. Dominus vobiscum. R. Et cum spiritu tuo.


Oremus.
Deus refugium nostrum, et virtus, adesto piis Ecclesiae tuae precibus, auctor ipse pietatis, et praesta; ut quod fideliter petimus, efficaciter consequamur. Per Christum Dominum nostrum. R. Amen.


Oremus.
Omnipotens sempiterne Deus, qui gloriosum beatum Antonium variis tentationibus probatum inter mundi hujus turbines illaesum transire fecisti: concede famulis tuis; ut et praeclaro ipsius proficiamus exemplo, et a praesentis vitae periculis ejus meritis et intercessione liberemur. Per Christum Dominum nostrum. R. Amén



Oremus
Benedictionem tuam, Domine, haec animalia accipiant, qua corpore salventur, et ab omni malo per intercessionem beati Antonii liberentur. Per Christum Dominum nostrum. R. Amén.

Referências


La bendición de animales en San Antón. Inter vestibulum et altare

La fiesta de San Antón en Roma. Inter vestibulum et altare.
blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...