Manchetes

Nosso Parceiro

domingo, 17 de outubro de 2010

Missa em latim na forma ordinária, em Caconde, SP

Recebemos por e-mail, pedindo divulgação, e publicamos com adaptações:

"Somente se a relação com Deus é justa também as outras relações do homem – as dos homens entre si e do homem com as outras realidades criadas – podem funcionar" (J. Ratzinger - Bento XVI)

O Santo Sacrifício da Missa em Caconde, no último dia 2 de Outubro, foi celebrado pelo Revmo. Padre RobertoMiranda, Reitor do Santuário Diocesano Eucarístico de Nossa Senhora do Rosário em Mococa, que vem sedestacando em toda região por seu reconhecido alinhamento com o Papa Bento XVI em assuntos litúrgicos, bem como por seu trabalho fecundo à frente do Santuário naquele município.

O Rito celebrado na Basílica de Nossa Senhora da Conceição do Bonsucesso foi o Romano na forma ordináriaem Latim, sendo que e durante a Santa Missa três novos Cavaleiros da Ordem de São Maurício e São Lázaro foram “investidos". A Ordem de São Maurício e São Lázaro é tradicionalíssima, remonta até a Legião Tebana, (século III) dela fazendo parte altos dignitários eclesiásticos, Cardeais, Arcebispos, Bispos e prelados da Cúria Romana e ao redor do mundo, citando como exemplo Sua Eminência o Cardeal Tarcisio Bertone, S.D.B, Secretário de Estado do Vaticano. Abrigando em seus quadros, sobretudo leigos atuantes em suas comunidades, a Ordem preserva os valores da Cavalaria Cristã, atua em favor da vida humana, a serviço dos necessitados e vivendo sempre efetivamente a perene vocação para a caridade.

Ao lado de outras Ordens milenares como as: Soberana e Militar de Malta, e Eqüestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, a Ordem de São Maurício e São Lázaro congrega Cavaleiros e Damas em diversos países, sendo sua sede em Genebra na Suíça. Sua Eminência o Cardeal Giovanni Cheli, que foi Núncio Apostólico junto das Nações Unidas é o “Cardinalis Patronus” da Ordem e o Grão Prior atual é o Monsenhor Francesco Saverio Salerno, Bispo de Ceverteri e Conselheiro de Estado da Pontifícia Comissão da Cidade do Vaticano. O Grão Mestrado é por tradição do Chefe da Casa de Savóia, uma das mais antigas dinastias européias, com Reis e Cruzados entre seus antepassados, e que governou o Piemonte, a Sardenha e a Itália. A Casa de Savóia, Guardiã do Santo Sudário, tem em sua genealogia cinco beatos e um expressivo rol de servos de Deus e veneráveis declarados oficialmente pela Igreja.

A Santa Missa em Caconde teve acompanhamento de Canto Gregoriano e órgão, apropriados para o Rito Romano e que pode ser celebrado em duas formas: a ordinária e a extraordinária. A forma ordinária trata-se da Missa “Nova”, ou de Paulo VI, como é celebrada após a reforma litúrgica que veio depois do Concílio Vaticano II; a forma extraordinária é a Santa Missa Tridentina, ou de São Pio V, e que foi celebrada por séculos, tendo sido assistida por nossos antepassados através de gerações. A Missa Tridentina foi recente e efetivamente favorecida pelo “Motu Próprio” de Bento XVI. Segundo vários teólogos, inclusive Ratzinger, o atual Pontífice, a Missa Tridentina, pelo seu desenvolvimento orgânico através dos séculos, traduz com excelência a Fé Católica. Cabe frisar que foi no período desta forma do Rito que ocorreu a expansão da Fé e são, também, deste período uma plêiade de Santos e Santas prodigiosos que povoam os Altares.

Em Mococa, com vivo apoio de Dom David Dias Pimentel, Bispo de São João da Boa Vista, no Santuário do Rosário do qual o Padre Roberto Miranda é Reitor, todos os sábados às 15h há Santa Missa Tridentina, ou seja, na forma extraordinária. Fiéis de outras cidades e mesmo de outras dioceses paulistas e mineiras acorrem até lá para assistir às celebrações. Digno de nota é que não há outra divulgação que o “boca a boca”, o que prova a força de atração do Rito tradicional.

A Santa Missa em Latim - na forma ordinária, nova, de Paulo VI - na Basílica foi uma oportunidade de se reviver um pouco da bicentenária tradição litúrgica da Paróquia de Caconde, que remonta aos idos de 1775.

É justo registrar que as leituras do evangelho foram feitas em Português e que a Homilia foi feita, também, em Português, inclusive muito rica e instrutiva, sendo que apenas os ritos foram em Latim, língua universal da Igreja, conforme prevê o Rito.

Igualmente, é importante reforçar que não há absolutamente nada nos documentos do Concílio Vaticano II sobre a abolição do Latim na Igreja, ao contrário, aqueles documentos reforçam a importância do Latim na liturgia, língua litúrgica que pertence por direito a todos os fiéis no mundo inteiro. O retorno do Latim na S. Missa, bem como o Canto Gregoriano e a Comunhão de joelhos e na boca, vão ao pleno encontro da “Reforma da Reforma” desejada por Bento XVI, ou seja, um Novo Movimento Litúrgico.

Ainda Cardeal, J. Ratzinger já dizia: “Somente se a relação com Deus é justa também as outras relações dohomem – as dos homens entre si e do homem com as outras realidades criadas – podem funcionar”. O Cardeal Antonio Cañizares, conhecido como “pequeno” Ratzinger por sua afinidade com o Papa, e que é o atual Prefeito da Congregação do Culto Divino, afirma “ser necessária uma volta de 180º” que promova o resgate da sacralidade e o devido respeito à Real Presença de Jesus Cristo na Eucaristia. Tudo num processo gradual de correta interpretação do último Concílio à Luz da tradição e em consonância com os outros vinte Concílios Dogmáticos que vieram antes, trata-se da Hermenêutica da Continuidade, como ensina o Papa Bento XVI.

O Conde Giuseppe Lantermo Torre di Montelupo, Cônsul de San Marino e Delegado no Brasil da Ordemelogiou publicamente ao Padre Roberto Miranda pela belíssima celebração, sua atualizada “equipe” litúrgica de Mococa, as Irmãs, o serviço do Altar e o brilhante cantor gregoriano, William Cardoso. Agradeceu, também, ao Reitor da Basílica de Caconde, Padre Ivan Gandolfi, por ter cedido o belíssimo ebem cuidado Templo para a S. Missa, justificando que o Reitor não pode estar presente por motivo de viagem ao exterior. Agradeceu, ainda, ao Vigário Paroquial Padre Ricardo Rezende, destacando a participação do Seminarista João Ricardo Ramos na cerimônia, que inclusive traduziu parte da mesma para o italiano, poishavia europeus assistindo à Missa. O Conde lembrou a cooperação da Secretária Paroquial Margarete Almeida Cruz, do Sacristão e Coroinhas de Caconde e registrou o talento da organista Cleonice Marques de Freitas.

O evento na Basílica repercutiu positivamente na Rede Vida de Televisão e em outros veículos de comunicação católicos.

Abaixo, algumas fotos da Missa:


O Delegado da Ordem comunga de joelhos

Cavaleiros e damas da Ordem


blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...