Manchetes

Nosso Parceiro

domingo, 15 de abril de 2012

Existem dois Alleluias nas Missas do Tempo Pascal?

A pergunta que dá título a este texto talvez não seja muito popular, mas acredito que possa captar a atenção de alguns dos leitores, seja surpresos com o fato de que possa haver dois Alleluias numa Missa, seja pela oportunidade de ler sobre um aspecto litúrgico que já lhes é conhecido.


A presença de dois Alleluias se dá tanto na Forma Ordinária quanto na Forma Extraordinária do Rito Romano, isto é, tanto na liturgia aprovada pelo papa Paulo VI e posta em uso em 1969 quanto na chamada Missa Tridentina.

Para que possamos falar dos dois Alleluias, é preciso que nos lembremos do Gradual. Na maioria das igrejas em que se celebra a Forma Ordinária o Gradual não é utilizado, dando lugar ao Salmo Responsorial previsto no Lecionário. Entretanto, o Gradual continua sendo a opção tradicional, com séculos de uso; ele consta, inclusive, do Graduale Romanum, o livro de partituras litúrgicas por excelência; e estou falando mesmo da sua edição de 1974, publicada para a Forma Ordinária. 

Tal é a música do Rito Romano.

Consideremos, a partir de agora, o Gradual como o canto próprio para se seguir à Primeira Leitura.

Completamente distinto do Gradual é o Alleluia, que antecede o Evangelho. Na Forma Ordinária, o Alleluia só se omite na Quaresma, e na Extraordinária se omite a partir da Septuagésima (algumas semanas mais cedo), dando lugar ao Trato.

Na Forma Ordinária, portanto, a ordem é:

1. Primeira Leitura
2. Gradual
3. Segunda Leitura (se houver; em caso negativo, passa-se ao próximo item)
4. Alleluia
5. Evangelho

Na Forma Extraordinária não existe a Segunda Leitura, e os itens restantes mantêm sua posição.

Entretanto, quando chega o Tempo Pascal, em ambas as formas do Rito Romano, ocorre uma explosão de Alleluias em toda a Liturgia, tanto na Missa quanto no Ofício Divino. Na Missa, uma manifestação desse imenso júbilo é a substituição do Gradual por um Alleluia:

1. Primeira Leitura
2. [primeiro] Alleluia
3. Segunda Leitura (se houver)
4. [segundo] Alleluia
5. Evangelho

Ambos os Alleluias são cantados com um versículo, na forma Alleluia - versículo - Alleluia.

Durante a Quaresma, a penitência e o caráter mais recolhido nos davam, na Missa, um Gradual e um Trato; o júbilo pascal, em compensação, nos dá dois Alleluias! E o Gradual propriamente dito só volta depois de Pentecostes.

Porém, a Oitava da Páscoa traz uma pequena diferença. Ali encontraremos, desde o Domingo de Páscoa até a Sexta-feira, um Gradual. Mas não qualquer Gradual: trata-se do Haec dies; um cântico pascal que nos faz viver, em cada dia da Oitava da Páscoa, o próprio dia da Páscoa; um grande dia prolongado.

Nesta solenidade, a assembléia dos fiéis, alimentada no regaço materno da santa Igreja, formando um só povo e uma só família, adorando a Unidade da natureza divina e o nome da Trindade, canta com o Profeta o salmo da grande festa anual: Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos (Sl 117,24). [Da Segunda Leitura do Ofício das Leituras da Quarta-feira na Oitava da Páscoa, da Homilia Pascal de um autor antigo]

Gradual do Domingo da Páscoa da Ressurreição

Em cada um desses seis dias (do Domingo até a Sexta-feira, lembremo-nos), o Haec dies se faz alternar por um diferente versículo de salmo. Cinco deles são tomados do Salmo 117, e na Terça-feira, excepcionalmente, um versículo do Salmo 106.

Domingo da Páscoa da Ressurreição - Sl 117, 1 - Confitemini Domino, quoniam bonus: quoniam in saeculum misericordia eius. Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque eterna é a sua misericórdia.

Segunda-feira - Sl 117, 2 - Dicat nunc Israel, quoniam bonus: quoniam in saeculum misericordia eius. Diga agora Israel quão bom é o Senhor, pois sua misericórdia é eterna.

Terça-feira - Sl 106, 2 - Dicant nunc, qui redempti sunt a Domino: quos redemit de manu inimici, et de regionibus congregavit eos. Assim digam os que o Senhor remiu, os que livrou da mão do opressor.

Quarta-feira - Sl 117, 16 - Dextera Domini fecit virtutem, dextera Domini exaltavit me. A mão direita do Senhor se levantou, a mão direita do Senhor me exaltou.

Quinta-feira - Sl 117, 22.23 - Lapidem, quem reprobaverunt aedificantes, hic factus est in caput anguli: a Domino factum est, et est mirabile in oculis nostris. A pedra que os pedreiros rejeitaram, ficou sendo a pedra angular; foi o Senhor que fez isto: maravilha aos nossos olhos.

Sexta-feira - Sl 117, 26.27 - Benedictus qui venit in nomine Domini: Deus Dominus, et illuxit nobis. Bendito o que vem em nome do Senhor! O Senhor é Deus, ele nos iluminou.

No Sábado o Gradual dá lugar a um Alleluia; e seu versículo é o próprio Haec dies, do Salmo 117 do qual se tiraram quase todos os versículos citados anteriormente:
Haec dies, quam fecit Dominus: exsultetmus, et laetemur in ea. Esse é o dia que o Senhor fez para nós; alegremo-nos e nele exultemos.

No dia seguinte, o Segundo Domingo da Páscoa, às vezes chamado Quasimodo, devido às primeiras palavras de seu Introito, e também chamado in Albis. Na Forma Ordinária, é também a Festa da Divina Misericórdia instituída pelo Beato João Paulo II. Neste ano de 2012, cai na data em que se publica este texto, 15 de Abril. Na vigília desta festa faleceu o papa no ano de 2005, e no próprio Domingo da Misericórdia de 2011 foi beatificado por seu sucessor Bento XVI.

Canta aqui o professor Giovanni Vianini. À Misericórdia Divina confiamos todo o nosso trabalho!

Introito do Segundo Domingo do Tempo Pascal:
Como crianças recém-nascidas, desejai o puro leite espiritual, aleluia! (1Pd 2,2)


blog comments powered by Disqus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...